domingo, 10 de janeiro de 2010

♫A NOITE E O SOM DA LENDA MUNDURUKU♫

*
Daniel Munduruku conta, em seu livro As Serpentes que roubaram a noite e outros mitos, que Karu Bempô, jovem guerreiro da tribo dos mundukuru, visitou por três vezes a morada da serpente em busca da noite. Na primeira visita, Karu Bempô ofereceu à serpente, em troca da noite, um arco e flecha. O presente foi recusado por Surucucu, a serpente, que justificou não ter os braços para usá-lo.

Na segunda visita, a oferta era uma matraca(instrumento musical) que prontamente foi amarrada no rabo da serpente. Entretanto, ela não possuia força suficiente para chacoalhar o instrumento, pois, a matraca era muito pesada. Mesmo assim, Surucucu deu a Karu Bempô um saquinho com um pouquinho da noite. Ao chegar na tribo, o saquinho foi aberto e de dentro dele a noite saiu e escureceu tudo. Imediatamente, guerreiros e animais dormiram profundamente. O sol escaldante que brilhava sem cessar permitiu que pessoas e animais repousassem um pouco.

Porém, isso durou pouco tempo, e logo o sol voltou a brilhar alegremente. Vendo que a quantidade de noite não era suficiente para o descanso dos mundukuru e dos animais, Karu Bempô voltou ao ninho da serpente. Esta o esperava com um saco bem grande, cheio de noite, pois, sabia que ele voltaria. Surucucu exigiu um pote de veneno em troca da noite mais longa, e prometeu que usaria o veneno com bastante cuidado para não ferir as pessoas gravemente. Após alguns dias, quando a troca foi realizada, Surucucu alertou Karu Bempô que o saco só poderia ser aberto depois de algumas horas para que desse tempo de o veneno ser distribuído com critério entre as cobras da floresta.

Porém, quando Karu Bempô chegou na aldeia, o desespero do seu povo era tanto que acabaram arrancando das suas mãos o grande saco. Ao cair, ele se abriu e todo o universo foi invadido pela mais profunda escuridão. Na floresta, enquanto isso, as cobras avançaram no veneno e serviram-se dele sem nenhum cuidado. Assim, aquilo que deveria ser distribuído em quantidade pequena, apenas para que pudessem se defender das pessoas, transformou-se numa arma perigosa e fatal tornando as cobras inimigas mortais de outros animais. Os munduruku e os animais, por sua vez, gostaram muito de conseguir a noite de volta para descansar e iniciar o dia de trabalho com força e disposição.


*Este é o escritor Daniel Munduruku. Ele nasceu em 1964, em Belém do Pará. Cresceu ouvindo histórias indígenas na aldeia construída nos arredores da cidade. É formado em Filosofia e licenciado em História e Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP).Trabalhou com meninos de rua. Vive em São Paulo, onde fez pós-graduação na USP sobre o povo munduruku. Índio da nação tupu munduruku, Daniel é autor premiado de vários livros sobre a cultura indígena.
*
*Este texto foi baseado no livro AS SERPENTES QUE ROUBARAM A NOITE E OUTROS MITOS, de Daniel Munduruku. São Paulo: Peirópolis, 2001.

5 comentários:

Guará Matos disse...

Que conto mágico e espetacular, Denise. Me prendeu a atenção.
As lendas dos nossas florestas e consequentemente dos índios brasileiros são maravilhosas. Não conhecia o Daniel Mundukuru e vou rrer atrás de uma obra dele para eu ler na sua totalidade.
Obrigado e muitos beijos.

Dom Quixote (Thomaz) disse...

Muito bom o texto. Gosto de quero mais!

Denise Guerra disse...

Amigos Guará e Dom, obrigada pelas visitas e pelos comentários! Os mitos indígenas são ótimos e tem tudo haver com a nossa vida; coisas que não temos como explicar comparecem nestes mitos cobrindo certos espaços deixados pela lógica que usamos. Bjs!

Silvana Nunes .'. disse...

Salve o NOVO ANO !
Que ele venha coroado de muita LUZ, de PAZ e de Saúde. E que estejamos juntos por mais um ano.
Que Assim Seja !
Olá, como vai ? Sou Silvana Nunes, professora, pesquisadora. Estou aqui para divulgar um pouco da minha cultura, a história de nossos antepassados ( que amo muito e tenho receio que se perca em meio a essa enxurrada de informações que somos acometidos ultimamente) e, para isso, FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... começa o ano contando um pouco sobre esse espetáculo maravilhoso que é a FOLIA DE REIS ou REISADO, comemorado no dia 6 de janeiro. Aqui eu também coloco as famosas simpatias das Romã, muito utilizada no dia 6 de janeiro para atrair dinheiro. Para quem curte uma simpatia, vale a pena fazer.Venha conferir.
E para quem não conhece o meu espaço, convido a dar uma chegadinha até lá para conhecer o meu cantinho de histórias, o link está logo abaixo.
Que os bons ventos soprem a seu favor neste ano de 2010.
Saudações Florestais !
SIGA-ME em : http://www.silnunesprof.blogspot.com

Denise Guerra disse...

Profª Silvana, seja bem-vinda e agradeço os comentários! Tenho visitado seu blog e já sou seguidora, com certeza estarei sempre por lá pois, ele é maravilhoso! Um grande Abraço!

Related Posts with Thumbnails